Se tens um coração de ferro, bom proveito.
O meu, fizeram-no de carne, e sangra todo dia.

"Se te pareço noturna
e imperfeita
Olha-me de novo.
Porque esta noite
Olhei-me a mim,
como se tu me olhasses
E era como se a água
Desejasse."

Hilda Hilst

"Como me sinto? Como se colocassem dois olhos sobre uma mesa e dissessem a mim , a mim que sou cego : isso é aquilo que vê , essa é a matéria que vê . Toco os dois olhos sobre a mesa , lisos , tépidos ainda , arrancaram há pouco, gelatinosos , mas não vejo o ver . É assim o que sinto tentando materializar na narrativa a convulsão do meu espírito , e desbocado e cruel , manchado de tintas , essas pardas escuras do não saber dizer , tento amputado conhecer o passo , cego conhecer a luz , ausente de braços tento te abraçar."

Hilda Hilst

"[o sentido da minha vida] é inventado a cada momento, mas é claro que eu necessito da poesia, eu necessito da arte, eu necessito de estar discutindo essas coisas, de estar pensando nessas coisas que dão transcendência à vida. Eu não tenho dúvida alguma de que a arte é necessária porque a vida não é suficiente, porque senão qual era a necessidade de inventar a arte? A necessidade é essa: as pessoas necessitam dela, por mais que aconteça coisa no mundo, a arte sobrevive, como uma forma de acordo com o momento, com a época, ela é uma coisa necessária, como a ciência é necessária, como a filosofia é necessária, como a religião é necessária, como a política é necessária."

Ferreira Gullar 

"O meu maior desejo sempre foi o de aumentar a noite para a conseguir encher de sonhos."

Virginia Woolf

"Você é mais bonita que uma bola prateada
de papel de cigarro
Você é mais bonita que uma poça dágua
límpida
num lugar escondido
Você é mais bonita que uma zebra
que um filhote de onça
que um Boeing 707 em pleno ar
Você é mais bonita que um jardim florido
em frente ao mar em Ipanema
Você é mais bonita que uma refinaria da Petrobrás
de noite
mais bonita que Ursula Andress
que o Palácio da Alvorada
mais bonita que a alvorada que o mar azul-safira
da República Dominicana

Olha,
você é tão bonita quanto o Rio de Janeiro
em maio
e quase tão bonita
quanto a Revolução Cubana"

Ferreira Gullar 

"É mais fácil amar o retrato. Eu já disse que o que se ama é a ‘cena’. ‘Cena’ é um quadro belo e comovente que existe na alma antes de qualquer experiência amorosa. A busca amorosa é a busca da pessoa que, se achada, irá completar a cena. Antes de te conhecer eu já te amava…. E então, inesperadamente, nos encontramos com rosto que já conhecíamos antes de o conhecer. E somos então possuídos pela certeza absoluta de haver encontrado o que procurávamos. A cena está completa. Estamos apaixonados"

Rubem Alves

"A vida é muito bonita,
basta um beijo
e a delicada engrenagem movimenta-se,
uma necessidade cósmica nos protege."

Adélia Prado 

"Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar ?
Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar ?
amar o que o mar traz à praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?
Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entregar ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o áspero,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, é uma ave de rapina.
Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.
Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita."

(Carlos Drummond de Andrade)

"Sempre chega a hora em que descobrimos que sabíamos muito mais do que antes julgávamos."

José Saramago 

"Em que bar será
que você fica rindo
daquele amor
que eu achava lindo?"

Cazuza

"Escrevo. Escrevo para ver se me entendo. Escrevo para ter uma nova realidade e ver se esqueço a minha. Gosto de pensar que tenho outra realidade , outra vida , onde posso recomeçar , onde posso ter um amor pra vida inteira. É esquisito , mas só quem escreve me entende. Escrever é botar a alma no papel , você escreve oque você é , oque você sente. No papel crio um mundo que só eu posso entrar. Ás vezes me pergunto se alguém entende oque eu escrevo , se você me enteder , me avisa , se você tiver uma alma parecida com a minha , me fala , é muito raro alguém me entender."

Poesitando

"Apresento-me como Roberta. Roberta Oliveira. A que mora na esquina da padaria do seu Joaquim. Clichê não acha? Pois eu acho. Clichê, pois todo mundo tem uma vida assim. No piloto automático. Todo mundo tem uma amiga chamada Roberta. Todo mundo tem o sobrenome Oliveira. Todo mundo mora na esquina da padaria do seu Joaquim. Só que com outro nome. Só que com outra vida. Se você continuar pela linha do meu pensamento vai ver que todo mundo é exatamente igual. Tirando as aparências internas. Porque cada um tem o seu jeito. Tirando algumas pessoas que não são autênticas, pois a sociedade não permite. Tirando eu que não me encaixo em nenhuma das possibilidades acima. Eu sou autêntica só que no papel. Meus textos pingam pedaços de mim (se é que isso é possível). Uma vez escrevi um texto sobre rosas. Sobre sentimentalismo. Sobre minha mãe. Sobre o mês de Setembro. Sobre a solidão. Há quanto tempo não escrevo sobre minha parceira. Não que ela tenha me deixado. Eu que tranquei a porta e engoli a chave na esperança de que ela fosse embora. Qualquer hora eu vomito e ela entra de novo. Ou ela penetra as paredes e se instala de novo. Com as paredes de palha daqui de casa acho bem possível a entrada dela. É só bater um ventinho. O lado bom é que eu vou ter com quem tomar um chá às 3 da manhã. Só ela fica disponível nesse horário. Só ela me dá inspiração. Além das rosas. Do meu sentimentalismo. Da minha mãe e do mês de Setembro. Fique com a solidão, é a melhor companhia que posso lhe indicar enquanto vou à padaria do seu Joaquim.
PS: Cuidado ela é traiçoeira, se instala facilmente.
PS.2: Não é fácil mandá-la embora."

Poesitando.

"vazio
agudo
ando meio
cheio de tudo."

Paulo Leminski 

"Prezo insetos mais que aviões.
Prezo a velocidade
das tartarugas
mais que a dos mísseis.
Tenho em mim
esse atraso de nascença.
Eu fui aparelhado
para gostar de passarinhos.
Tenho abundância
de ser feliz por isso.
Meu quintal
É maior do que o mundo."

Manoel de Barros